Notícias
AnterioresPróximas


Informação Clínica01 Fevereiro 2005
Um conceito APDF:

- Um indivíduo que, ao longo de uma grande parte da sua vida é sujeito a excessivas situações demasiado desgastantes, quer a nível físico e/ou emocional, sem possibilidade de recuperação das mesmas, pode provocar, ao longo do tempo, um desgaste e consequente destruição celular ligada ao Sistema Nervoso Central.

Daí, é provocado um bloqueio do Sistema Parassimpático, assim como uma falta de Oxigenação das células cerebrais, tendo como consequência uma deficiência do Sistema Imunitário.

Durante o sono, os Neurónios são altamente estimulados, tornando-se mais activos, devido à diminuição do esforço do Sistema Parassimpático e tentativa de Reposição do défice através do Sistema Simpático. Não são respeitadas as funcionalidades normais que deveriam existir durante o sono, durante o qual, não atingindo o limiar horário necessário, dificulta a necessária reposição celular e que não pode ser estabelecida através da Vontade.

Devido ao elevado esforço dos neurónios atingidos, são segregadas diversas substâncias tóxicas, as quais, só após lenta e gradual oxigenação celular após o acordar poderão ser minimamente eliminadas.

O Sistema Simpático entra em elevada funcionalidade, tentando cobrir os défices acumulados devido ao descontrolo do Sistema Parassimpático, não permitindo a necessária reposição dos défices acumulados nas células vivas, obrigando-as a um trabalho excessivo, devido ao seu diminuído número, obrigando a um esforço excessivo dos neurónios envolvidos, provocando a já falada segregação de toxinas.

Existe, pois, um elevado número de células mortas no organismo de um Doente Fibromiálgico, provocando um aumento de actividade das células vivas existentes.

Pode haver uma predisposição congénita para a existência de uma fragilidade dessas mesmas células, podendo provocar, mais facilmente, uma situação patológica, mesmo sem grandes causas aparentes.

Assim, e como resposta às alterações diárias do Doente Fibromiálgico e suas dificuldades funcionais, basta um pouco de Repouso, com total inactividade física e mental, para acumular o oxigénio suficiente para satisfazer as necessidades mínimas do organismo.




Para um acompanhamento farmacológico, há que incidir em medicamentos direccionados para uma melhoria da actividade cerebral e respectiva oxigenação, assim como, paralelamente, substâncias que facilitem a eliminação das toxinas acumuladas.

Também em termos alimentares estes Doentes deverão incidir sua atenção:

Há que evitar produtos com elevado teor de toxinas, assim como, na própria confecção alimentar, eliminar condimentos e processos de cozedura demorados e sujeitos a uma elevada temperatura ou frituras.

F.M.


AnterioresPróximas

Desenvolvido por: Particula Digital